Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Um vazio todo para mim

Escrita Criativa e outros devaneios

Um vazio todo para mim

Escrita Criativa e outros devaneios

Pontua-te!

17.04.21 | Silêncios | comentar
          Sentada numa vírgula com uma perna para cada lado, pensava de olhar perdido, na Vida e nas suas reticências...  Muita coisa na história do Mundo, tinha-lhe arrancado várias exclamações! Outras continuariam, para (...)

Dar-me uma continuidade constante

15.04.21 | Silêncios | comentar
        Afligem-me as pessoas com necessidade de falar. Que sabem sempre tudo, sobre qualquer tema. As que fazem desvios nas palavras como um carro de competição, faz as curvas. Quase, a derrapar. As que atropelam as palavras, ou no-las (...)

Ouve a tua alma!

15.04.21 | Silêncios | comentar
    "Se queres ir rápido, vai sozinho; se queres ir longe, vai em grupo". Provérbio Africano   A lógica mostra-nos que andamos mais depressa se caminharmos sozinhos; mas que iremos muito mais longe, se o fizermos em grupo. Os sós nunca (...)

Continua...

14.04.21 | Silêncios | comentários (1)
    Para retornar a mim, preciso de tempo. Uma fracção de segundo em que se faça silêncio, absoluto. Onde nada se mexa... e tudo o que de mim se estilhaçou, recompor-se-á. E o som de mim a partir-se, será então, recordação.  Para (...)

Navegar à vela, na orla.

14.04.21 | Silêncios | comentar
  fotografias minhas Voltar a andar mar afora, sem sair da borda. Navegar à vela... ali, na orla. Ter o mundo na mão, num simples grão de areia. Carícias de limos nos pés. Um roçar de asa, p'lo cabelo que esvoaça. Lavar o rosto na (...)

Sem Horizontes

13.04.21 | Silêncios | comentar
      fotografia minha      Como é doce a solidão e impagável o silêncio! Calada, condenada e sem horizontes pensar-te-à a maioria. Ah, mas como é fina e rica, filigrana pura, esta solidão que me abraça! O silêncio que me (...)

Nasci para...

10.04.21 | Silêncios | comentar
    De desilusão em desilusão, vou descartando gente como o preso risca os dias no calendário. Como ele, quem sabe... talvez também chegue o dia da minha libertação. Esse será aquele, em que não restar um falso(a) a circundar-me. (...)

Arroz de Forno

09.04.21 | Silêncios | comentar
    Enquanto jantava cozido, passeou pelo vinhedo, apreciando as folhas salpicadas de azul e pensou;  andaram, por aqui, a sulfatar. As uvas estavam gordas. A terra continuava boa. E o seu cheiro único, quando se iniciara, há pouco, uma (...)